Alckmin comenta depoimento no caso Sílvio Santos

Durante visita à cidade de São Caetano do Sul, onde participou da inauguração de um agência do Banco do Povo, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), comentou o depoimento prestado por ele, hoje, como testemunha no caso do seqüestro do apresentador Sílvio Santos. Segundo o governador, o depoimento, no Fórum Criminal da Barra Funda, foi curto - com cerca de 20 minutos de duração - e não trouxe novidades. Alckmin disse que, na condição de governador, decidiu abrir mão da prerrogativa. "Poderia até ter marcado data e hora, mas resolvi dispensar tudo isso, para agilizar o trabalho", comentou. De acordo com ele, poucas perguntas foram feitas pelo juiz de direito. "Eu apenas relatei tudo o que aconteceu. Disse que estava cumprindo um compromisso em Jundiaí quando fui informado de que o Sílvio Santos fez um apelo para que eu comparecesse à sua casa a fim de garantir a sua integridade física. Eu voltei a São Paulo, fiz uma avaliação detalhada e resolvi ir até lá, onde tudo se resolveu rapidamente", contou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.