Alckmin confirma realização do Réveillon na Paulista

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), garantiu hoje que os paulistanos poderão comemorar o Réveillon na Avenida Paulista na virada de 2004 para 2005, apesar da desistência da Prefeitura de São Paulo de organizar o evento. Segundo Alckmin, o governo estadual e a empresa patrocinadora do evento anunciarão a parceria nesta semana e a programação da festa, que depende ainda de autorização da prefeitura."Já conseguimos o patrocinador, que será divulgado nesta semana", disse Alckmin. "Tenho certeza de que não há razão para a prefeitura não autorizar", acrescentou. Segundo o governador, a realização da festa é importante pois garante aos paulistanos uma alternativa de lazer. "Além disso, é uma data muito especial. É um momento de esperança e alegria", justificou. A realização da festa exigirá investimentos de R$ 2,5 milhões, desembolsados pelo patrocinador.A prefeitura desistiu de organizar o evento neste ano, o oitavo de Réveillon na Paulista, sob a alegação que eventuais casos de violência pudessem repercutir na posse do prefeito eleito de São Paulo, José Serra (PSDB), e vereadores, marcada para 1º de janeiro. De acordo com a prefeitura, houve um número grande de incidentes durante o evento quando da transição do governo de Celso Pitta para o da atual prefeita, Marta Suplicy (PT), na virada de 2000 para 2001.Segundo Alckmin, a festa deste ano atenderá todos os gostos. "A festa vai oferecer qualidade para todos os gostos, como o Projeto Guri, orquestra jazz sinfônica, axé, pagode", enumerou o governador. Para Alckmin, a festa também funciona como plataforma de união. "Vivemos em um mundo autocentrado. A festa é importante porque é comunitária e permite passar o ano todo mundo junto", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.