Alckmin defende mudanças na legislação penal

O governador Geraldo Alckmin defendeu neste domingo em São Paulo mudanças na legislação penal. "O ideal é mudar a legislação. Tem ladrão migrando para seqüestro relâmpago", disse.Desde sexta-feira, o seqüestro relâmpago passou a ser considerado crime hediondo no Estado de São Paulo, por determinação do governo. Com isso, esse tipo de crime deixará de ser registrado pela Polícia Civil como roubo qualificado e os acusados passarão a responder por roubo e extorsão mediante seqüestro.Funcionários de delegacias e o Ministério Público Estadual (MPE) serão orientados, segundo Alckmin. "Assim que a alteração nos registros dos boletins de ocorrência entrar em vigor nas delegacias do Estado, os criminosos poderão ser condenados a penas até três vezes maiores." A pena para quem cometer seqüestro relâmpago passará de cinco anos para mais de 13 anos em regime fechado. Os criminosos ficarão presos em penitenciárias de segurança máxima. "Eles devem ser enquadrados como seqüestradores e não como praticantes de roubo", defendeu Alckmin.

Agencia Estado,

16 de agosto de 2004 | 01h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.