Alckmin defende reforma tributária ''por etapas''

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, defendeu ontem a ideia de que a reforma tributária seja feita em etapas e não aumente nem diminua a carga de impostos. Após se reunir com o governador de Minas, Antonio Anastasia, no Palácio dos Bandeirantes, Alckmin reconheceu que uma proposta de reforma ampla encontraria dificuldades para ser aprovada no Congresso.

ANNE WARTH, O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2011 | 00h00

"Na minha opinião, a reforma deve ser neutra sob o ponto de vista da carga tributária, sem aumentar nem diminuir impostos", afirmou. "Se quiser fazer uma reforma tributária complexa, vai encontrar muitas dificuldades. Como não é fácil de ser feita, deve-se ir por etapas."

Alckmin também disse ser favorável à simplificação do modelo tributário e à descentralização da arrecadação de impostos. "Acho que se deve avançar muito na questão da simplificação do modelo tributário, que é muito complexo, caro e dificulta a vida do contribuinte", disse. "O Brasil é uma República federativa, mas muito centralizada na área federal. Em um país continental, quanto mais delegar e descentralizar, fortalecer Estados e governos locais, melhor."

O governador mineiro, Antonio Anastasia, disse considerar a reforma tributária uma questão "urgente". A prioridade, de acordo com ele, deve ser uma nova discussão sobre os royalties. "Minas tem hoje uma situação extremamente negativa e toma prejuízo na área de royalties minerais, principalmente com minério de ferro", avaliou o tucano. "O prejuízo não é apenas em relação à não incidência da Lei Kandir sobre as exportações minerais, mas em relação ao valor pequeno dos royalties."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.