Alckmin desvincula seqüestro de interesse político

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse hoje que cabe ao apresentador Silvio Santos decidir se deseja ser um parceiro do PSDB nas eleições de 2002. "É uma decisão pessoal do Silvio Santos, que eu saiba nunca foi candidato a nada". Alckmin afirmou que o fato de ter auxiliado o empresário a ser libertado das mãos do seqüestrador Fernando Dutra Pinto não tem qualquer relação com a política. "Sou médico e tenho uma visão humanitária. Sempre que for solicitado a ajudar alguém em risco, vou ajudar".Depois de participar do encontro dos prefeitos do PSDB na Assembléia Legislativa, Alckmin voltou a responder às críticas que tem recebido do ex-prefeito Paulo Maluf, que está sob investigação pelo Ministério Público que busca provas da existência de contas bancárias do ex-prefeito e seus familiares na Ilha de Jersey. "O problema do Maluf não é a política, é a polícia. Ele tem que prestar contas para a Justiça e para a Polícia."

Agencia Estado,

01 de setembro de 2001 | 12h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.