Alckmin diz que Lula não tem compromisso com a verdade

O candidato da coligação PSDB-PFL à Presidência da República, Geraldo Alckmin, afirmou nesta sexta-feira que o adversário Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está com medo de perder as eleições neste segundo turno. "O outro candidato (Lula) não tem compromisso com a verdade e isso mostra o nível de desespero dos nossos adversários em levar essas mentiras (aos eleitores)", disse o tucano, em resposta a afirmações ou insinuações de Lula e de correligionários de que, se o ex-governador paulista for eleito, pretende acabar com o Bolsa-Família e privatizar empresas do governo. "São totalmente improcedentes as afirmações de que cogito acabar com o Bolsa-Família e privatizar o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e Petrobras", ressaltou."Eu até não acreditei, quando me falaram que o próprio presidente (Lula) estava falando essas coisas", comentou. Depois de reiterar que isso é um prova "do nível de desespero" da campanha do PT, Alckmin questionou: "Onde fica a credibilidade do presidente, que não sabia (dos escândalos) e agora fala coisas inverídicas? No fundo, é o medo de perder as eleições."Ao garantir que nunca cogitou privatizar Petrobras, BB e Caixa, o tucano disse que, se vencer o pleito no dia 29 de outubro, pretende prestigiar essas empresas e seu funcionalismo. E alfinetou: "Essas empresas não são do PT, mas do povo brasileiro. São instituições que não podem ser utilizadas politicamente e não podem ser instrumentalizadas ou envolvidas em escândalos."Alckmin disse que o afastamento do presidente do PT, Ricardo Berzoini, é um assunto interno do próprio partido. Mas argumentou que o que precisa ser feito não é afastar o presidente da legenda, mas sim divulgar de onde veio o dinheiro, utilizado na tentativa de compra do suposto dossiê Vedoin. "Que mistério é este que ninguém fala? Pois, R$ 1,7 milhão é uma fortuna", frisou.O tucano disse ainda que, no debate que realizará no próximo domingo (8) com o presidente Lula, na TV Bandeirantes, pretende falar de suas propostas para o País. "Quero falar para o eleitor e para o Brasil de forma propositiva." Na avaliação de Alckmin, a campanha tucana está crescendo e ganhando a confiança e o entusiasmo do povo brasileiroS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.