Alckmin diz que Sabesp decide sobre racionamento

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou hoje que a decisão de ter ou não racionamento na cidade é técnica e não política. Neste sentido, adiantou que já deu carta branca para a Sabesp decidir se a medida será realmente necessária . "Tem chovido de maneira intensa nos últimos dias, causando até problemas de enchente, mas tem chovido no lugar errado. A decisão (do racionamento) é técnica e a Sabesp já está autorizada e a hora quem entender que deve fazer, fará", reiterou. Alckmin lembrou, contudo, que o racionamento só será feito se a medida for estritamente necessária: "Pois não iremos impor um sacrifício à população que não seja necessário." Um dos principais reservatórios da cidade, e que abastece praticamente metade da população da região metropolitana, o da Cantareira, continua com o nível de água muito baixo, apesar das fortes chuvas que atingem a cidade nos últimos dias. Por essa razão, A Sabesp está avaliando, tecnicamente, a necessidade de adotar o racionamento de água. Mas, de acordo com o governador, tudo será feito dentro de critérios técnicos.Geraldo Alckmin disse, também, que já conversou com o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, a respeito de um projetoque o governo de São Paulo pretende implementar, para resolver o problema das enchentes na Capital. Segundo ele, o objetivo écons truir dois piscinões no Jardim Pirajuçara, local que sofre muito com as enchentes. O valor de cada uma das obras estáorçado em cerca de R$ 10 milhões e a idéia é que o governo federal entre com a metade dos recursos necessários.O governador vistoriou hoje um dos símbolos dos tempos dos barões do café, o antigo Casarão Santos Dumont, localizado entreas alamedas Cleveland e Nothmann, em Campos Elíseos, na Capital. O complexo, que abriga quatro antigas construções, serátransform ado na nova sede da Fundação Patrimônio Histórico da Energia de São Paulo. Serão instalados, também, ummuseu-tecnológico e um centro de pesquisa e divulgação científica, com um dos mais valiosos acervos históricos preservados do Estado e do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.