Alckmin e Aécio tentam aparar arestas

Além de servir de palco para o lançamento de propostas conjuntas para as áreas da segurança pública e do crescimento, o encontro que reuniu hoje na Capital os candidatos do PSDB que disputam a Presidência da República, Geraldo Alckmin, o governo de São Paulo, José Serra e a reeleição ao governo de Minas Gerais, Aécio Neves, teve também a finalidade de aparar eventuais arestas na relação entre Alckmin e Aécio.Depois dos discursos de unidade feitos pelos três tucanos, que sucederam o encontro de cerca de quinze minutos no comitê de campanha de Serra, Alckmin foi questionado sobre a boa relação que o governador mineiro tem com o seu maior adversário nesta campanha, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). "A civilidade faz parte (de uma campanha)", disse o candidato tucano ao Palácio do Planalto. "Eu sou bem educado", rebateu Aécio.Geraldo Alckmin destacou que se há um Estado em que sua campanha "vai de vento em polpa" é Minas Gerais. E disse acreditar num crescimento ainda maior. "Acho que vai crescer muito, até pela nossa afinidade (com Aécio) e nossa origem mineira", emendou, numa referência a uma ala de sua família, que é de Januário, cidade mineira.Para reforçar a declaração de Alckmin de que a relação entre os dois é a melhor possível, o governador de Minas Gerais disse também: "Se vocês querem agradar o Aécio, votem no Geraldo para a Presidência da República."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.