Alckmin evita divergências com Marta

O governador em exercício Geraldo Alckmin disse hoje que a negativa da prefeita Marta Suplicy em abrir mão dos 2.800 policiais militares que trabalham no Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran) não vai alterar em nada a parceria feita entre os governos estadual e municipal nas áreas de segurança, habitação e recursos hídricos. O governo do Estado liberou uma verba de R$ 140 milhões para construção de seis Centros de Detenção Provisória, cinco piscinões e 4,5 mil unidades habitacionais, recebendo em troca os terrenos da Prefeitura para as obras."Não podemos estimular divergências, temos de ter o bom senso de somar as convergências", afirmou Alckmin, depois da entrega de 1,8 quilômetro da marginal sul do Rodoanel em Carapicuíba, na Grande São Paulo. No entanto, ele insistiu no pedido de liberação dos policiais, sugerindo que esse processo fosse feito gradualmente. "Acho que essa questão ainda pode ser melhor estudada. Temos hoje 2.800 policiais na Companhia de Trânsito, de repente poderíamos ter um número menor", explicou.Alckmin comentou que pode ser mantida uma base de policiais militares no CPTran em caráter definitivo. "Mas se conseguirmos uma maneira de ter 1.000 PMs trabalhando no policiamento ostensivo, preventivo, é melhor", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.