Alckmin fala de malha viária; Lula, de educação

O candidato a presidente pelo PSDB, Geraldo Alckmin, falou novamente sobre seu plano de obras durante o horário eleitoral gratuito reservado às rádios na manhã desta quinta-feira. O plano do candidato prevê obras em quatro áreas: melhoria na infra-estrutura de estradas e ferrovias; saneamento, com água e esgoto, inicialmente para a região Nordeste; casas populares, em parceria com governos estaduais e municípios; e a urbanização de favelas nas grandes cidades.O candidato voltou a falar de seu projeto de zoneamento ecológico e econômico para aproveitar a biodiversidade na Amazônia. Narradores do programa de Alckmin também criticaram o estado das estradas federais, que foram abandonadas pelo governo Lula e chamaram a atenção para o fato de que o Estado de São Paulo conta com 9 das 10 melhores estradas do País graças aos investimentos feitos por Alckmin em rodovias.Agricultura familiarO candidato também prometeu criar um pacote de incentivos à agricultura. "Vamos retomar os incentivos à agricultura. O governo passará a bancar metade do seguro safra, diminuindo os riscos para o agricultor. Além disso, vamos dar apoio à agricultura familiar, reduzindo os juros e promovendo o crédito. Também vamos estruturar a defesa sanitária, o que nos permitirá conquistar novos mercados", disse Alckmin.Alckmin estendeu as propostas para outras regiões do País, com o plano de criar uma nova Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste), que permitirá criar incentivos para os estados da região, trazendo capacitação técnica e profissional para as pessoas, e crédito para as indústrias. "E também um grande apoio para o turismo, atividade que gera emprego e renda", ressaltou Alckmin.O tucano se comprometeu a, caso eleito, estabelecer o policiamento de fronteiras nos estados da região Centro-Oeste com o apoio das forças armadas. "Para impedir a entrada de armas e drogas", disse Alckmin. Alckmin também se comprometeu a melhorar as estradas federais da região para melhorar o escoamento da produção agrícola.Bolsas universitáriasJá o programa de Lula, candidato à reeleição pelo PT, focou no tema educação e melhorias sociais. Os narradores de Lula citaram dados da pesquisa do PNAD - Pesquisa por Amostra de Municípios, que indicaria melhorias sociais como ganhos na renda do trabalhador, que teria aumentado pela primeira vez em 10 anos, o crescimento do emprego em todas as regiões e o aumento da participação das mulheres no mercado de trabalho."É fundamental que o emprego cresça de forma bem distribuída em todas as regiões do Brasil, beneficiando homens, mulheres e jovens. Vamos conseguir fazer isso aprofundando mudanças na economia", disse Lula.Entre as propostas do candidato estão o aumento do crédito para as forças produtivas e a diminuição dos juros. O candidato também prometeu realizar melhorias na produção com a criação de um novo pólo petroquímico, incentivos para novos combustíveis, mais recursos para a agricultura. Em comum com os destaques de Alckmin, Lula prometeu melhorias na infra-estrutura de transportes, com a melhoria nas estradas, portos e aeroportos.O programa de Lula também falou dos incentivos para a educação, como o programa ProUni, que disponibilizou bolsas universitárias para jovens de baixa renda, beneficiando 204 mil estudantes. Narradores de Lula chamaram a atenção para ação realizada em 2004 pelo PFL contra o programa, afirmando que o eleitor deveria ficar atento para as ações do PFL e PSDB que nunca fizeram nada para ajudar o jovem carente a cursar a universidade.Lula também prometeu que, se reeleito, irá aumentar em 10 vezes os recursos da educação, criando um piso salarial para os professores, a ampliação do ProUni e a criação de novas escolas técnicas e universidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.