Alckmin faz campanha em Vitória sem apoio do governador Hartung

O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, fez campanha neste sábado na capital do Espírito Santo sem a recepção do governador Paulo Hartung (PMDB). Candidato à reeleição em coligação com o PFL e o PSDB, mas com o apoio do PT, Hartung decidiu manter-se neutro na campanha nacional e viajou, na sexta-feira, para local não divulgado por seus assessores. Alckmin afirmou não haver mal-estar com o episódio e fez elogios ao governo de Hartung, num sinal de que ainda pretende atraí-lo. "Política não se obriga, política se conquista", disse o candidato, que declarou ter ficado satisfeito com o apoio, na sexta-feira, em campanha em Porto Alegre, de prefeitos e candidatos a deputado do PMDB gaúcho, apesar de não ter conseguido a adesão do governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto (PMDB).Alckmin fez campanha nas ruas de Vitória, onde pediu votos ao lado do ex-prefeito da capital Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB) e de Ricardo Ferraço, candidato a vice-governador na chapa de Hartung e coordenador da campanha tucana no Estado. Em um Estado que, como São Paulo, enfrenta problemas no sistema penitenciário e altos índices de criminalidade, Alckmin quis falar sobre segurança pública. Ele afirmou que pretende fazer do combate à violência uma tarefa do governo federal. O tucano também declarou que, se eleito, uma de suas primeiras tarefas será regulamentar a Emenda Constitucional da Previdência, para criar um fundo de pensão para os novos funcionários públicos. Alckmin afirmou que o estabelecimento de uma idade mínima para a concessão de aposentadorias precisa ser estudada, mas que o principal problema é a informalidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.