Alckmin ganha eleição em Nova York, segundo apuração extra-oficial

O candidato tucano Geraldo Alckmin (PSDB) venceu em todas as 35 urnas de Nova York, com 49,5% dos votos válidos contra 32,46% do principal oponente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), segundo apuração extra-oficial. No total, foram 5.163 votos válidos, dos quais Alckmin obteve 2.556 e Lula, 1.676. O total de brancos e nulo foi de 166 e 119, respectivamente. Em terceiro lugar ficou a candidata Heloísa Helena (PSOL). O que mais chamou a atenção em Nova York, maior colégio eleitoral brasileiro no exterior, foi o alto índice de abstenção: 56,96%.Apenas 43,04% ou 5.448 dos 12.657 eleitores registrados junto ao consulado em Nova York comparecem às urnas montadas na "High School of Arts and Design", uma escola na Segunda Avenida de Manhattan, entre as Ruas 56 e 57. "É um índice muito alto de abstenção. Em 2002, tivemos 63% de comparecimento", observou o embaixador José Alfredo Graça Lima, cônsul do Brasil em Nova York. Em Washington, o índice de comparecimento às urnas foi um pouco melhor: 60%. Parte do alto índice de abstenção pode ser explicada pelo fato de haver poucos locais para votação nos Estados Unidos.A vitória de Alckmin sobre Lula em Nova York também surpreende. Nas últimas eleições presidenciais, em 2002, 45,5% dos eleitores de Nova York votaram em Lula, 22,5% em José Serra e 14,5% em Ciro Gomes no primeiro turno. No segundo turno, 59% votaram em Lula e 36% em Serra.As urnas foram fechadas às 17 horas locais. A última eleitora a votar foi a faxineira Renata Almeida, que mora em Nova York há 16 anos e votou pela primeira vez fora do Brasil. Seu voto foi para o candidato tucano. Como outros brasileiros, Renata não votou nas últimas eleições presidenciais, mas disse que, se tivesse exercido o seu direito, teria dado seu voto a Lula. "Mas estou decepcionada. Fiz questão de votar porque tenho a esperança de mudar o nosso País", disse ela, que tem planos de voltar para o Brasil. Brasileiros que vivem fora do País só podem votar para presidente. O segundo maior colégio eleitoral no exterior, depois de Nova York, é Miami, com 6.666 eleitores, seguido de Londres, com 3.540. No total, cerca de 86 mil brasileiros estão cadastrados para votar no exterior, dos quais 30 mil nos Estados Unidos.Embora seja o maior colégio eleitoral fora do País, o número de eleitores cadastrados em Nova York é baixo, considerando-se que a cerca de 400 mil brasileiros moram na área sob esta jurisdição, que abrange cinco Estados - Nova York, New Jersey, Connecticut, Pensilvânia e Delaware.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.