Alckmin inaugura obra em bairro castigado pelas chuvas

"Quando você volta? Depois da eleição, né?", gritou um morador do Jardim Paraná, um lugar inóspito na zona norte da capital paulista onde o governador Geraldo Alckmin tinha acabado de inaugurar, neste domingo, uma obra de implantação de rede de distribuição de água. Na véspera, o Jardim Paraná, nas encostas do Serra da Cantareira, havia sido duramente castigado pelas fortes chuvas que caíram em São Paulo. Mas o governador não viu os destroços nem as marcas da enchente porque chegou ao morro de helicóptero.Pouco antes de Alckmin fazer o discurso de inauguração da obra, o deputado federal Arnaldo Madeira (PSDB-SP) reconhecera que o lugar, de ruelas intransitáveis, mau cheiro e esgoto a céu aberto, precisava não só de rede de distribuição de água, mas de "muita coisa".Logo depois, num rápido discurso, o governador de São Paulo prometeu construir uma escola, desde que a Prefeitura liberasse um terreno. "Depois de resolvido o problema da falta de água, precisamos resolver o problema da falta de escola. Mas, para isso, precisamos que a Prefeitura ceda o terreno", disse o governador a uma centena de moradores que se aglomerou em frente ao palanque da comitiva do governo paulista.Alckmin explicou aos moradores, alguns com bandeirinhas distribuídas pela Sabesp, que a nova rede de sete quilômetros do Sistema da Cantareira beneficiará cinco mil pessoas e que a obra, orçada em R$ 400 mil, será concluída em 120 dias. "Até julho, esta obra estará pronta", afirmou o governador."Tudo que é benfeitoria é sempre bom", reconheceu Reinaldo Silva, de 53 anos, morador do Jardim Paraná há três anos. Ele e seu colega José Pereira, de 33 anos, lamentaram, no entanto, que o lugar não tenha ainda redes de saneamento básico, escola, área de lazer para as crianças, posto de saúde e condução.O acesso ao morro é tão difícil que a Sabesp, empresa ligada à Secretaria de Recursos Hídricos, Saneamento e Obras do Governo de São Paulo, reconhece que a escavação das obras terá de ser manual. Um placa na encosta do morro informa que o "Jardim Paraná é propriedade particular, adquirida em abril de 2000 e que os 193 mil metros quadrados pertencem à Sociedade de Amigos do bairro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.