Alckmin indica técnico para vaga de Paulo Renato

Escolha de Herman Voorwald, reitor da Unesp, para a Educação surpreende até aliados; PV perde a vaga da Secretaria de Justiça

Roberto Almeida, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2010 | 00h00

Com o fim da era Paulo Renato Souza à frente da Secretaria de Educação, marcada anteontem pelo pedido de demissão do tucano, o governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), tomou uma decisão que surpreendeu até os correligionários e anunciou ontem o reitor da Unesp, Herman Jacobus Cornelius Voorwald, como o novo titular da pasta.

Voorwald não fazia parte da bolsa de cotações. Alckmin conheceu-o recentemente, em meio às inúmeras indicações, e gostou do perfil. O reitor da Unesp é ligado à área de engenharia mecânica. Graduou-se na Unesp em 1979, fez mestrado na Unicamp e doutorado no ITA.

Alckmin buscava aliviar as tensões com as entidades de classe de professores da rede estadual e manter Paulo Renato seria um sinal ruim para os sindicatos. O impasse culminou com o pedido de demissão do tucano.

Segundo integrantes da equipe de transição, Voorwald apresentou-se "com apetite" para o cargo. Demonstrando forte desejo de assumir a secretaria, ele superou nomes mais conhecidos, como o do deputado Paulo Barbosa (PSDB), ligado ao ex-secretário Gabriel Chalita (PSB).

Na avaliação de tucanos, o reitor da Unesp tem em seu favor habilidade e articulação suficientes, obtidas com o período à frente da universidade, para superar os impasses em relação aos professores. O perfil técnico, afirmam, também o põe como "habilidoso gestor".

Novos nomes. Alckmin também anunciou ontem a procuradora Eloisa Arruda como secretária de Justiça. Ela é diretora da Escola Superior do Ministério Público. Havia a expectativa de que a escolhida seria a procuradora Luiza Eluf, ligada ao PV.

A negociação em torno do nome de Luiza, afirmou Alckmin, não passou de "hipótese". Os verdes reclamaram que seu nome não passou pelo crivo do partido, à margem das negociações com a equipe de transição. "Não abdicamos da Justiça, mas é que não podemos participar de um governo sem ter controle das ações na questão do Meio Ambiente", anotou o presidente do PV paulista, Maurício Brusadin.

Alckmin ainda indicou o deputado Silvio Torres (PSDB-SP) para a Habitação. Na gestão Serra, a pasta era da cota do PPS e tocada por um técnico, Lair Krähenbühl.

Torres, próximo de Alckmin e participante ativo da transição paulista, terá como encargo tocar o "BNDES da Habitação", uma das principais promessas de campanha do tucano, com foco direcionado à população de baixa renda no Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.