Alckmin isenta Estado de responsabilidade por alagamentos

Os pontos de alagamento da cidade de São Paulo na região do rio Tamanduateí e da Ponte das Bandeiras são áreas de drenagem da Prefeitura de São Paulo e não de responsabilidade do governo do Estado. A afirmação foi feita nesta quinta-feira à noite pelo governador Geraldo Alckmin, ao deixar a Rádio Eldorado, onde concedeu entrevista.Ele informou, no entanto, que os governos estadual e municipal estão trabalhando em conjunto para reduzir os problemas de enchente naquela região da capital paulista. "Apenas na região do Tamanduateí, já construímos 10 piscinões, outros três estão em obras e mais dois estão para começar a serem construídos", informou.Além disso, o governador disse que o aprofundamento da calha do rio Tietê permitirá que, apenas na foz do rio Tamanduateí, a vazão aumente de 270 litros por segundo para 640 litros por segundo. "Já neste verão haverá uma melhoria entre 25% e 30% nessa área", garantiu. Alckmin disse ainda que será importante que a prefeitura paulistana intensifique os trabalhos de microdrenagem do rio Tamanduateí, realizando também a limpeza do rio e fortalecendo a campanha educativa da população para que não jogue lixo no rio. O governador admitiu que a única área de responsabilidade estadual a sofrer inundação é a do córrego Ribeirão dos Meninos, em São Caetano do Sul, que, segundo ele, terá intensificado o trabalho de combate às enchentes nas próximas semanas, assim que as chuvas forem reduzidas em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.