Alckmin lamenta morte e diz que Febem do Tatuapé será fechada

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse neste sábado à noite que a Unidade Tatuapé da Febem, onde um interno foi morto após ser agredido por colegas na sexta-feira, será desativada até o fim do ano. "Vamos fazer o que fizemos com o Carandiru, que é não ter mais os grandes complexos. Já temos 14 unidades em obras e 8 em licitação. Tenho até monitorado isso pessoalmente", afirmou ao lamentar o crime. "Temos hoje, infelizmente, 6.500 adolescentes, alguns reincidentes, casos graves. É um esforço permanente para evitar problemas. Infelizmente, às vezes acontece, lamentavelmente. Todo apoio à família, toda punição a quem cometeu esse crime", completou. Segundo o governador, 83% dos adolescentes na Febem não voltam a cometer infrações. "Nós temos cumprido essa tarefa de ressocialização, que não é só uma tarefa do governo. É dos pais, é da família, é da sociedade, da igreja, de todos", disse Alckmin. O governador afirmou que o adolescente já foi identificado e que foi aberta uma sindicância para esclarecer o crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.