Alckmin libera mais R$ 3 milhões para combater violência

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), liberou hoje mais R$ 3 milhões para a Secretaria da Administração Penitenciária comprar equipamentos para combater a onda de violência contra a polícia paulista. Os recursos deverão atender, em todo o Estado, 76 penitenciárias e 22 Centros de Detenção Provisória e dar prosseguimento à ação deflagrada pelo Estado, classificada pelo governador de "guerra contra o crime". Com esses recuros, serão adquiridos, por meio de pregão, cerca de 1,5 mil coletes à prova de bala, 400 pares de algemas e 500 rádios de comunicação tipo HT para a comunicação entre os próprios agentes de muralha e com os demais setores da unidade prisional, além de 100 estações fixas de rádio, que são as bases de funcionamento dos HTs.Pacto suprapartidárioPor causa da onda de violência em São Paulo, acirrada com os atentados à polícia paulista, o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) está agendando um encontro com o governador Geraldo Alckmin, para discutir medidas de combate a esse tipo de ação. "Precisamos de um pacto suprapartidário, que reúna os partidos do governo e os da oposição, em torno de uma mobilização que combata essas agressões", defendeu o senador.Os senadores da bancada paulista já iniciaram, ontem, uma mobilização suprapartidária com essa finalidade. O objetivo é unir os partidos, o governo do Estado e a União em torno do tema. O senador Mercadante pretende que o encontro com o governador de São Paulo tenha também a participação do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos e dos outros senadores paulistas, Eduardo Suplicy (PT) e Romeu Tuma (PFL).Para Mercadante, num momento delicado como este é necessário que todos estejam unidos para enfrentar "esse tipo de bandos assassinos". O senador elogiou a iniciativa de Alckmin em implantar no Estado o Regime Disciplinar Diferenciado nos presídios, fato apontado como responsável pelo "protesto dos bandidos". De acordo com o senador, o governo federal apóia essa iniciativa e encaminhou ao Congresso Nacional projeto de lei que cria o Regime Disciplinar em todo o País.Ao defender mais rigor no sistema prisional brasileiro, Mercadante destacou a importância de se aprovar a lei que estende o Regime Disciplinar para todo o País. "O Congresso Nacional não pode se intimidar. Chefe de bando, de organização criminosa, dos grandes narcotraficantes, dos responsáveis por quadrilhas de seqüestros, que assassinam, roubam e ameaçam nosso povo, tem de ficar isolado dentro do presídio de segurança máxima", reiterou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.