Alckmin lidera em SP com 47% dos votos

Cai 12 pontos vantagem do tucano - que tinha 50% - sobre Mercadante, que subiu de 14% da preferência para 23% em um mês, segundo o Ibope

Roberto Almeida, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2010 | 00h00

Geraldo Alckmin, candidato do PSDB ao governo de São Paulo, oscilou negativamente, mas continua liderando com folga a disputa estadual com 47% das intenções de voto, aponta pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada ontem. Ele assiste à aproximação de Aloizio Mercadante (PT), que subiu nove pontos desde a última sondagem Ibope, divulgada no dia 30 de julho, e saltou de 14% para 23%.

Mesmo com a ascensão do petista, que coincide com a entrada do horário eleitoral gratuito em rádio e TV, Alckmin venceria no primeiro turno, se a eleição fosse hoje. Seus adversários somaram 42% das intenções de votos válidos - 15 pontos porcentuais a menos do que o alcançado pelo candidato tucano.

Celso Russomanno (PP) atingiu 8%, enquanto Paulo Skaf, do PSB, marcou 2% e Fábio Feldmann (PV), 1%. Luiz Carlos Prates, o Mancha (PSTU), Paulo Búfalo (PSOL), Igor Grabois (PCB) e Anaí Caproni (PCO) não pontuaram.

Os votos brancos e nulos para a disputa ao governo paulista somam 7%. Os indecisos são 11%.

Em um possível cenário de segundo turno entre Alckmin e Mercadante, o candidato tucano também venceria, com 54% das intenções de voto. Nessas condições, o petista atingiria 30%. Brancos e nulos seriam 8%, mesmo porcentual de indecisos.

Na pesquisa espontânea, em que não são apresentados os nomes dos candidatos, Alckmin lidera com 29% das intenções de voto. Mercadante assinalou 18% e Celso Russomanno, 4%. Skaf e Anaí Caproni marcaram 1%. Os demais candidatos não pontuaram. Nessa modalidade, brancos e nulos somaram 8%. Os indecisos são 38%.

Rejeição. Alckmin e Mercadante partilham de índices de rejeição semelhantes entre o eleitorado paulista. De acordo com a sondagem, 15% não votariam de jeito nenhum no tucano e 16% descartam votar no petista.

O líder em rejeição é Mancha, do PSTU, com 23%. O candidato verde Fábio Feldmann manteve a menor rejeição entre os candidatos ao governo paulista. Ao todo, 8% dos eleitores não votariam no postulante do PV de jeito nenhum.

Senado. Na disputa pelas duas vagas paulistas no Senado, a pesquisa aponta a manutenção da liderança da candidata do PT, Marta Suplicy, com 36% das intenções devoto. Ela subiu cinco pontos porcentuais desde a última sondagem, no final de julho.

Marta é seguida pelo vereador e pagodeiro Netinho de Paula (PC do B), que atingiu 24% e está tecnicamente empatado com o ex-governador Orestes Quércia (PMDB), que somou 21%.

Candidato à reeleição, Romeu Tuma (PTB) aparece em quarto lugar, com 14%, empatado tecnicamente com Ciro Moura (PTC) e Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), que foram apontados por 11% dos eleitores.

Mais atrás na disputa por uma cadeira no Senado, o cantor Moacyr Franco, do PSL, marcou 8%, enquanto Ricardo Young (PV), Serpa (PSB) e Ana Luiza (PSTU) somaram 2%.

Marcelo Henrique (PSOL), Dirceu Travesso (PSTU) e Dr. Redó (PP) atingiram 1%. Mazzeo (PCB) e Afonso Teixeira (PCO) não pontuaram. Brancos e nulos na disputa ao Senado são 17%. Indecisos somam 31%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.