Alckmin não endossa críticas à prefeita de SP

As duras críticas feitas ontem pelo secretário estadual de Segurança Pública de São Paulo, Saulo de Castro Abreu Filho, à atuação da prefeita Marta Suplicy (PT) não foram endossadas hoje pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). Após participar da inauguração das novas instalações do Hospital do Servidor Público, na manhã de hoje, na Capital, Alckmin afirmou: "Vamos superar as divergências e caminhar numa agenda positiva. Vamos trabalhar."Além de não endossar as críticas de seu secretário, Alckmin criticou a antecipação dos embates eleitorais. "Não há razão para antecipar as eleições, a campanha ocorre apenas no ano que vem, portanto, deve ocorrer no momento certo", destacou. Segundo o governador, a antecipação do processo sucessório "encurta o governo, dificulta a governabilidade e quem sofre com isso é a população."Ao falar da antecipação dessas discussões, o governador criticou até mesmo a ocorrência "de certa ansiedade" dentro de seu próprio partido: "Percebo que algumas pessoas, até dentro do meu partido, têm uma certa ansiedade para definir candidatura. E eu, assim como um bom acupunturista da medicina chinesa, sei administrar a ansiedade." E continuou: "No momento oportuno, o PSDB vai escolher um bom candidato e a população de São Paulo vai ter como opção alguém preparado, competente e sério para ser um bom prefeito da Capital."Apesar da postura frente ao tema eleições municipais, ao ser questionado se o seu secretário de Segurança Pública havia se excedido nas críticas à prefeita Marta Suplicy, Alckmin disse apenas: "Se alguém tiver que se queixar de críticas, esse alguém deve ser o governador de São Paulo, por conta da enxurrada de críticas dos adversários. Mas isso faz parte da vida democrática."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.