Alckmin oferece recompensa de R$ 50 mil

Em entrevista coletiva hoje à tarde no Palácio dos Bandeirantes, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin anunciou novas medidas para conter a violência em São Paulo. A partir de amanhã, entra em vigor a Lei da Recompensa, que prevê pagamentos de até R$ 50 mil para quem fornecer informações que levem à prisão de seqüestradores. Para reforçar o policiamento, o Estado vai contratar 6 mil jovens estagiários que vão subsituir policiais que hoje exercem serviços administrativos. Além das medidas de caráter estadual, o governador disse que vai se encontrar amanhã com o presidente Fernando Henrique Cardoso para propor ações na esfera federal.Alckmin lembrou que o serviço de captação de informações que possam ajudar a polícia é anônimo e que qualquer um pode passá-las por meio do Disk Denúncia (0800-156315 Polícia Militar; e 0800-191147 Polícia Civil). O governador disse que o valor de R$ 50 mil valerá para o caso de Celso Daniel, mas não detalhou em que outros será estabelecida a mesma quantia, pois cada um será avaliado individualmente.Conforme o governador, os 6 mil estagiários deverão estar aptos para o trabalho em até 90 dias. Esses jovens serão selecionados por meio de um processo seletivo simples, forma mais rápida de disponibilizá-los para o trabalho. Alckmin afirmou que o governo estuda outras medidas para ser implementadas para conter a onda de violência no Estado.Além de providências estaduais, o governo paulista vai propor uma série de medidas de caráter legal e administrativo ao governo federal para conter a escalada da violência. Alckmin terá uma audiência com o presidente Fernando Henrique Cardoso, amanhã, às 17h horas, no Palácio do Planalto, para apresentar as propostas. Alckmin se recusou a detalhar as medidas que vai apresentar ao presidente - que inclui aspectos legais, cooperação e integração da Polícia Federal e ações administrativas - por considerar uma indelicadeza divulgá-las antes do encontro.Questionado por que só agora está tomando medidas para conter a onda de sequestros, Alckmin negou essa versão e disse que já vem adotando diversas ações, como a criação da Divisão Anti-Sequestro, das delegacias anti-sequestro e também a convocação de serviço voluntário nas polícias.Alckmin afirmou que vai a Santo André, ao velório de Celso Daniel, mas ainda não definiu a hora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.