Alckmin pede que sem-teto desocupem área da Volks

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, fez um apelo para que as famílias de sem-teto, acampadas no terreno da Volkswagen, em São Bernardo do Campo, deixem o local, já que não houve acordo na reunião realizada pela manhã entre representantes dos governos federal e estadual, uma comissão de deputados do PT e a proprietária. "Nós aguardamos o resultado da reunião, mas não houve solução. Ficou claro que a Volkswagen (a proprietária) exige a reintegração de posse, e a Justiça a determina também", afirmou Alckmin. "O governo federal não tem o compromisso de desapropriar o terreno; a Prefeitura de São Bernardo do Campo, também. A área deverá ser, imediatamente, desocupada. É o apelo que faço, para que as famílias deixem o local pacificamente." Alckmin reiterou que a reintegração será cumprida, mas disse que ela não tem hora ou dia para acontecer. Questionado se a polícia entrará logo em ação para desocupar a área, o governador respondeu que o secretário da Segurança, Saulo Abreu, é quem falará sobre a ação da Polícia Militar.Pela manhã, Alckmin anunciou planos de habitação da Nossa Caixa com a liberação de R$ 100 milhões do FGTS. O governador disse que a solução para as famílias de sem-teto que estão acampadas no terreno da Volks deve envolver os governos municipal, estadual e federal. Segundo ele, é possível fazer o cadastramento dessas famílias, mas a solução só será encaminhada depois que os acampados deixarem, definitivamente, o terreno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.