Alckmin pede que União ajude a financiar Ferroanel

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) fez nesta quarta-feira um apelo ao ministro dos Transportes, Anderson Adauto, para que o governo federal apóie e financie a construção do Ferroanel, dois novos trechos de malha ferroviária que, integrados às linhas existentes, eliminariam o trânsito de cargas, por ferrovia, na capital.O Ferroanel já estava incluído no Plano Diretor de Desenvolvimento de Transportes e no Plano Integrado de Transportes Urbanos, que prevêem ações até 2020, e usaria o mesmo projeto do Rodoanel. Para Alckmin, o ideal seria que o projeto fosse aprovado com o do Rodoanel, que passará neste ano por uma série de debates sobre o impacto ambiental da obra na Serra da Cantareira.O custo para a construção do Ferroanel - o trecho sul, tem 38 quilômetros, e o norte, 87 quilômetros - é de R$ 900 milhões, de acordo com cálculos feitos em 2002. A extensão dos trechos é estimada. O trecho sul ligaria as Estações Evangelista de Souza e Rio Grande da Serra, e o norte, Manuel Feio e Campo Limpo Paulista. Se houver necessidade, outra parte do trecho norte seria construída.Um dos principais temas do encontro, segundo o ministro, foi a coordenação do transporte de cargas e passageiros em estações como a Luz, por onde passa toda a carga que vai para o Porto de Santos. Hoje, segundo Alckmin, o volume de transporte de carga via ferrovia está em 16%, e a expectativa para 2003 é que suba para 21%.O transporte de passageiros tende a crescer, especialmente na Luz, que é alvo de operações especiais. Hoje, o intervalo entre um trem e outro é de 4,5 minutos e a meta é chegar a 3 minutos. O problema passa a ser, então, criar condições para a operação conjunta dos dois tipos de transporte.Segundo o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, o horário para o transporte de carga na Luz vai de meia-noite às 4 horas. Estuda-se abrir intervalos de 15 minutos entre os trens de passageiros, no período das 9 horas às 16 horas.A solução ideal, na avaliação do governo paulista, é tirar o transporte de carga do centro da cidade e levá-lo para o trecho sul do Rodoanel, construindo o Ferroanel. Com esse projeto, todo o transporte de carga deixaria de passar pela Luz e o transporte de passageiros poderia aumentar.Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual dos Transportes, o projeto do Ferroanel tem apenas um estudo de pré-viabilidade. Segundo Fernandes, a obra seria financiada pela União e por concessionárias, mas o Estado pode contribuir com terrenos e obras conjuntas com o Rodoanel.Preocupado com o congelamento de todas as obras e licitações do Ministério dos Transportes, Alckmin pediu a Adauto atenção especial à Régis Bittencourt e à Fernão Dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.