Alckmin pede suspensão de propaganda de Roseana Sarney que beneficiaria Lula

A coligação Por um Brasil Decente do candidato à Presidência da República, Geraldo Alckmin, entraram com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral para pedir a retirada da propaganda eleitoral gratuita de Roseana Sarney (PFL), candidata a governadora do Maranhão. Segundo a coligação, a propaganda da TV no último dia 13 estaria beneficiando o presidente e candidato à reeleição Luiz Inácio Lula da Silva, da coligação A Força do Povo. Os advogados de Geraldo Alckmin afirmam que a propaganda "que deveria ser destinada à apresentação da candidata ao governo do Estado acabou sendo utilizada, de forma abusiva, para fazer propaganda em favor de Lula."A ação se baseia na lei eleitoral, segundo a qual os partidos políticos e coligações são proibidos de incluir, no horário destinado aos candidatos proporcionais, propaganda das candidaturas majoritárias, ou vice-versa.Ainda segundo os argumentos da representação, o uso em favor de candidato à Presidência da República de tempo destinado a outras candidaturas resulta na perda de tempo equivalente em seu próprio horário eleitoral gratuito. O tempo estimado, neste caso, seria de 20 segundos. Os advogados afirmam ainda que a propaganda foi veiculada quando não havia iniciado o horário eleitoral gratuito de 2° turno dos presidenciáveis, o que daria a Lula ?excepcional vantagem de ter uma exposição em cadeia estadual sem qualquer contraponto?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.