Alckmin põe 2 secretários no PSDB estadual

Com o objetivo de controlar o PSDB na eleição municipal de 2012, o governador Geraldo Alckmin articulou uma reformulação da Executiva paulista da sigla e, na última hora, emplacou dois secretários estaduais na cúpula partidária, ampliando sua influência direta na sigla.

Julia Duailibi, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2011 | 00h00

A Executiva do partido, que contava com 18 vagas, foi ampliada para 23. Além disso, os secretários Bruno Covas (Meio Ambiente) e Edson Aparecido (Desenvolvimento Metropolitano) tornaram-se vogais. A entrada dos dois não estava prevista na convenção estadual, realizada no sábado - ela passou a ser articulada nesta semana, quando se costurou uma composição com as diferentes alas do PSDB no Estado. O ingresso dos secretários de Alckmin na cúpula foi definido ontem à noite. Bruno Covas já manifestava intenção de participar da Executiva.

No encontro do sábado, o partido conseguiu eleger o novo presidente, Pedro Tobias, aliado de Alckmin, mas não decidiu sobre a secretaria-geral. O atual ocupante do posto, César Gontijo, não quis ceder a vaga aos deputados federais, que a pleiteavam.

Para chegar a um novo acordo, o deputado Vaz de Lima, que foi líder do governo José Serra (2007-2010) e que havia sido indicado pelos parlamentares para a vaga, acabou retirando a candidatura. Gontijo foi reeleito, os parlamentares ficaram com três outras vagas e Alckmin reforçou a presença na Executiva com os dois secretários. O novo tesoureiro do partido, Felipe Sigollo, também é ligado ao governador.

Com a eleição de ontem, os deputados federais ficaram com a secretaria (Luiz Fernando Machado) e a primeira-vice-presidência (Vanderlei Macris) - eles pleiteavam três vagas. Entre os aliados do ex-governador José Serra na nova Executiva, Ieda Areias foi eleita tesoureira-adjunta. Um dos vogais, João Guariba, é próximo do senador Aloysio Nunes Ferreira.

Eleita a nova chapa, Alckmin e Serra apareceram no diretório para cumprimentar a nova cúpula, que deve tomar as principais decisões a respeito das eleições municipais no Estado. O partido já traça estratégia para as cem maiores prefeituras paulistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.