Alckmin precisa tirar de 4 a 5 pontos de Lula para haver 2º turno

O diretor de operações da Confederação Nacional da Indústria, Marco Antonio Guarita, disse que para o candidato do PSDB à presidência, Geraldo Alckmin, conseguir disputar o segundo turno precisa subir de 4 a 5 pontos porcentuais, tirando esses votos do presidente Lula. "Ou precisa que outro candidato tire votos de Lula nessa magnitude", acrescentou.Na pesquisa CNI/Ibope, Lula aparece com 50% das intenções de voto ante 29% de Alckmin. Somando os votos de toda a oposição, obtém-se 41%, ou seja, 9 pontos porcentuais abaixo da intenção de votos que tem o presidente Lula.Chances de segundo turnoApesar de Lula estar à frente dos seus concorrentes e ter ganhado votos e popularidade em relação às pesquisas anteriores, o consultor da MCI estratégia, Amauri Teixeira, afirmou que ainda é cedo para dizer que a eleição está resolvida e será vencida por Lula no primeiro turno.A pesquisa CNI/Ibope aponta um "discreto aumento" da chance de haver um segundo turno na eleição presidencial, embora o cenário básico continue sendo o da vitória do presidente Luis Inácio Lula da Silva já no primeiro turno. A avaliação é do analista político Rogério Schmitt, da Tendências Consultoria Integrada. Pela primeira vez desde julho, a diferença de intenções de votos de Lula em relação aos demais candidatos somados caiu para um dígito (9%), contra uma diferença que já foi de 10%, 12% e até 15%."Para a oposição, esse é um sinal de esperança de que possa haver um segundo turno", disse Schmitt. No geral, o analista pondera que a pesquisa mostra que o favoritismo do presidente Lula se mantém inalterado - ele atingiu 50% das intenções do eleitorado. Em contrapartida, o candidato Geraldo Alckmin manteve a trajetória de crescimento lento, atingindo 29% das intenções de voto. "Por enquanto, não há indicações de que se tenha um segundo turno", completou Schmitt.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.