Alckmin promete manter polícia em favela

O governo paulista pretende manter o policiamento na Favela Caixa D´Água, na zona leste da capital, para tentar evitar a guerra do tráfico que acabou determinando toque de recolher no comércio local, na terça-feira. "Só há um comando, que é o do governo, e a polícia só vai sair de lá quando a questão estiver totalmente normalizada", disse o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP). Segundo ele, a polícia deslocada ao local irá realizar um trabalho intenso nos setores preventivo e ostensivo. "Não há hipótese de outro comando que não seja o da polícia, isso quer dizer que a polícia ficará permanentemente lá, para proteger a população e trazer tranqüilidade, para prender os criminosos que entram em conflito e atemorizam os moradores da região", disse Alckmin.Na avaliação do governador, a proposta da lei de recompensas, para tentar aumentar a prisão de criminosos perigosos, pode ajudar no trabalho da segurança. "Mas acho que a medida mais importante, no sentido de colaboração da população, é o Disque-Denúncia. Crime perfeito não existe, alguém pode ver uma movimentação estranha, algo diferente, aí é só ligar para o 0800-156315 e fazer a denúncia, com a certeza de que o anonimato será mantido", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.