Alckmin quer mudar Estatuto da Criança e do Adolescente

Os últimos problemas na Febem de Franco de Rocha, que nesta terça-feira enfrentou três motins, podem provocar mudanças no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). As alterações, para garantir tratamento mais rígido aos internos com idade superior a 18 anos, foram defendidas pelo governador Geraldo Alckmin, pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado, Sérgio Augusto Nigro Conceição, e pelo secretário da Educação, Gabriel Chalita.Chalita quer a convocação da bancada paulista no Congresso para formular o projeto de reformas. "Acho que esse é o momento oportuno. Não dá para continuar tratando alguns internos como crianças quando, na verdade, são adultos perigosos", afirmou o secretário. "É um grupo que merece regime mais rígido, o que não tem nada a ver com tortura."As declarações foram feitas na Febem de Raposo Tavares, no lançamento de projeto para 2 mil internos que passarão a atuar como monitores de informática e atendentes de bibliotecas em escolas estaduais. O programa tem o apoio das Fundações Bradesco e Paula Souza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.