Alckmin quer tirar PM do trânsito na capital

O governador em exercício Geraldo Alckmin (PSDB) vai conversar com a prefeitura de São Paulo para pedir a transferência de quase 3 mil policiais militares que hoje atuam no Comando de Policiamento de Trânsito (CPTrans) para o policiamento ostensivo e preventivo. ?Vamos discutir com a prefeitura a possibilidade de trazê-los para o policiamento, deixando o trabalho em relação ao trânsito com os marrozinhos", disse o governador, depois de uma reunião entre ele, o governador licenciado Mário Covas e dez secretários, para definir a forma como o governo estadual poderia colaborar com a prefeitura de São Paulo.A idéia surgiu depois da reunião entre Alckmin e a prefeita Marta Suplicy, na última segunda-feira. Na ocasião, Marta colocou a necessidade de haver mais policiamento nas escolas. "Nós não temos condições de colocar um policial em cada escola municipal, não temos como fazer isso nem nas escolas estaduais. A Polícia Militar fará a ronda nas regiões mais perigosas, ajudando a Guarda Civil Metropolitana", comentou.O governo estadual também definiu que colocará o programa Banco do Povo na cidade. "Mas aqui não poderemos fazer um Banco do Povo, como fizemos em outros municípios, porque São Paulo é muito grande. Teremos de fazer isso de forma descentralizada e a secretaria estadual de Assistência e Desenvolvimento Social está estudando isso", afirmou. O Banco do Povo faz empréstimos a mini-empresários e existe em 80 municípios do Estado. O governo estadual entra com uma parte da verba para investimentos, enquanto a prefeitura do município entra com o restante. No caso de São Paulo, os dois governos irão discutir quanto cada um poderá destinar ao programa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.