Alckmin reafirma que será o novo presidente do Brasil

Ao desembarcar em São Luís nesta segunda-feira, o candidato da coligação PSDB-PFL à presidência da República, Geraldo Alckmin, voltou a afirmar que será o novo presidente do Brasil. Segundo ele, o País não vai "perder tempo" escolhendo novamente Luiz Inácio Lula da Silva (PT): "Lula teve a sua chance e deixou passar a oportunidade. Seu governo foi uma lambança do ponto de vista ético. Não funcionou. É muito ineficiente, devagar. Tem 34 ministérios", afirmou Alckmin.Ele citou como ponto a seu favor o fato de o desenvolvimento econômico do País ter estagnado na gestão de Lula. "O Brasil não pode ficar parado. Eu vou pisar no acelerador. O crescimento do Brasil não pode continuar em apenas 2%."A visita de Alckmin ao Estado se dá a convite da Federação dos Municípios do Maranhão. Ele disse que não deverá se encontrar com o candidato do PDT ao governo estadual, Jackson Lago, para não lhe criar constrangimento, já que Lago, ex-prefeito, é apoiado pelo PT e por todos os partidos que fizeram aliança com o governo.Alckmin afirmou, porém, que considera Lago "o melhor candidato, o mais experiente e mais ciente das necessidades do Estado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.