Alckmin, Serra e Aécio elaboram estratégia conjunta de governo

Os candidatos do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, ao governo de São Paulo, José Serra, e à reeleição ao governo de Minas Gerais, Aécio Neves, definiram, em reunião realizada na manhã desta terça-feira, 01, na capital paulista, uma estratégia conjunta para atacar os principais problemas que o País enfrenta, principalmente nas áreas da segurança pública e do desenvolvimento.Entre as estratégias já definidas pelos três, estão o descontingenciamento dos fundos nacional de segurança e penitenciário, a integração dos serviços de inteligência das polícias de São Paulo e Minas Gerais, a descentralização dos investimentos, sobretudo os da área de infra-estrutura, a troca de experiências bem-sucedidas entre os governos de Minas e São Paulo e ações conjuntas em prol de uma política de desenvolvimento para o País.O encontro, realizado no comitê de campanha de Serra, não durou mais do que 15 minutos. Após a reunião, os três fizeram um rápido pronunciamento para dizer que estão unidos em torno dessas propostas. "Isso representa um avanço", destacou Serra, sobre a iniciativa de se reunirem e tratarem uma estratégia conjunta para atacar os principais gargalos do País. "As questões prioritárias não podem ser administradas com fronteiras", reiterou Aécio Neves. Na sua avaliação, essa forma de parceria que os três definiram sinaliza uma nova forma de fazer política no Brasil".O candidato Geraldo Alckmin destacou a importância da união de esforços em torno de um projeto de desenvolvimento do País. "Isso será feito através de uma política articulada, pois queremos aumentar os investimentos públicos e privados, sem competições", afirmou.Aécio Neves criticou a falta de repasse de recursos do governo federal para a área de segurança pública nos Estados. "É um dado grotesco a falta de repasses para o fundo penitenciário, pois nada foi executado até agora".Alckmin propôs a criação de um sistema de liberação dos recursos para a área de segurança pública mensal. Ele chamou esse sistema de duodécimo, ou seja, em 12 meses, e destacou que isso irá permitir um melhor planejamento por parte dos Estados, que saberão exatamente quanto irão receber do governo federal.Os tucanos propuseram também a destinação de recursos da Cide para investimentos em infra-estrutura. Serra destacou a necessidade de se investir em estradas, na área de transportes e na área de portos.Novo ´Café-com-Leite´Ao falar do encontro, Serra disse que esta foi a primeira de muitas reuniões. "Hoje estamos selando um pacto de parceria na caminhada eleitoral", e brincou: "É um café com leite do século XXI", ao se referir às parcerias que pretende implementar com o governador Aécio Neves, caso se confirmem as expectativas de vitória dos dois nestas eleições, conforme apontam as pesquisas eleitorais.Após o encontro, Alckmin, Serra e Aécio fizeram uma rápida caminhada pelas ruas do centro da cidade, tomaram café com leite em uma padaria situada em frente à Câmara Municipal e fizeram um brinde ao encontro que tiveram na capital.Serra segue para o interior do Estado; Alckmin viaja para o Rio de Janeiro; Aécio disse que faria uma visita ao arcebispo de Mariana (MG) e ex-presidente da CNBB, dom Luciano Mendes de Almeida, que está internado no Hospital das Clínicas. Na seqüência, retornaria para Belo Horizonte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.