Alckmin sugere verbas vinculadas para segurança

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, defendeu hoje a adoção de um mecanismo que assegure o repasse aos Estados de verbas destinadas à segurança pública. Alckmin disse não saber se é o caso de se fazer uma vinculação constitucional desses recursos, como ocorre com a educação e saúde. ?Mas que (a segurança) precisa ter recursos carimbados, precisa?, afirmou, após se encontrar no Congresso com parlamentares do PSDB. Sobre a verba para o setor que São Paulo espera receber do Ministério da Justiça, o governador disse que o dinheiro ainda não chegou, mas que ele já assinou os convênios para liberá-los. ?É evidente que é um valor bem menor do que o necessário?, frisou.Para o governador, o que está ocorrendo é que, por não estarem vinculados, os recursos para segurança acabam ?meio queespremidos? na área social. Segundo ele, isso tem ocorrido nos últimos 10 anos, tendo piorado nos anos mais recentes.?Vem aumentando muito de gravidade?, alegou. Alckmin lembrou que o governo federal tem papel importante no combate à violência, atuando contra o tráfico de armas e dedrogas e contra a lavagem de dinheiro. ?Vamos trabalhar para que a gente possa ter mais recursos o ano que vem?, defendeu.O governador reconheceu que o dinheiro ?está curto?, porque houve queda da arrecadação e que foi ano difícil para o País. Mas apontou como solução para o aparelhamento das polícias o uso dos R$2 bilhões do Fundo Nacional de Telecomunicações.Explicou que isso pode ser feito pelo reconhecimento de que um dos grandes problemas hoje da segurança é da falta derecursos para implementar tecnologias que ajudem no trabalho das polícias. ?Precisamos ter um sistema digitalizado em que aspolícias possam conversar entre si, tanto na área federal quanto nos Estados?, explicou. Ele previu que, se os Estadosconseguirem uma parte desses recursos da área de telecomunicações, seria um grande avanço nas medidas necessárias para melhorar a segurança pública.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.