Alckmin tem chance de vencer segundo turno, diz consultor político

Com o resultado do primeiro turno, pela primeira vez se configuraram as chances do candidato do PSDB a presidente, Geraldo Alckmin, ganhar as eleições, disse à Agência Estado o sócio da MCM Consultores Amaury de Souza, PhD em Ciência Política pelo Massachusetts Instituto of Technology (MIT). Ele observa que Alckmin cresceu 20 pontos em um mês. "É muita coisa", ressaltou. Enquanto isso, a candidatura à reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi prejudicada principalmente pela tentativa de integrantes do seu partido comprarem um dossiê contra Alckmin e o governador eleito de São Paulo, José Serra. "O caso do dossiê foi a gota d´ água junto com a recusa de ir ao debate, que criou perda de credibilidade do presidente", disse. Ele enfatizou que credibilidade é muito mais difícil de recuperar do que popularidade.Agora, no segundo turno, participar de debate será "politicamente obrigatório", acredita. Para Amaury de Souza, "o problema de Lula no segundo turno será responder às perguntas: ´O senhor nunca soube de nada? Como é possível que o presidente não saiba do que se passa debaixo do seu nariz?´".O cientista político acredita que voto não se transfere e aponta que pesquisas eleitorais indicam que os eleitores de Heloísa Helena tendem a se dividir entre Lula e Alckmin, com um pouco mais indo para o candidato do PSDB, e os Cristovam Buarque tendem a votar no ex-governador de São Paulo. Segundo o especialista, as surpresas que aconteceram nas eleições em relação às pesquisas são fruto da "alta volatilidade" das intenções de votos e indicam que "o eleitorado não está convencido das opções colocadas". Para ele, "os eleitores mostraram que se importam com corrupção e a idéia da massa que vota com o estômago não se sustentou".O especialista considera que a atual oposição "se fortaleceu bastante" no Congresso e nos estados e o resultado do primeiro turno afasta a possibilidade de Lula fazer "um governo messiânico, plebiscitário, chamando o povo às ruas". Ele observa que, se seguida a tradição de o partido com maior número de senadores fazer o presidente do Senado, o PFL ficará com o cargo, o que trará dificuldades para o presidente, caso Lula seja reeleito. Por outro lado, se Alckmin ganhar, terá o PT na oposição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.