Alckmin tenta atrair 300 prefeitos em ato eleitoral

Com agenda colada à do presidenciável tucano José Serra há três dias, o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, espera para hoje o apoio de pelo menos 300 prefeitos no que deve ser o principal evento da legenda antes da reta final das campanhas estadual e federal.

Roberto Almeida, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2010 | 00h00

Intitulado "Grande Encontro de Prefeitos Unidos por São Paulo e pelo Brasil", o evento será realizado em uma badalada casa de shows paulistana, localizada em área nobre. A ideia é reforçar a mobilização de apoiadores das campanhas de Alckmin e Serra, mas o foco está deslocado para a disputa federal.

Serra sofreu recentemente um revés nas pesquisas de intenção de voto em São Paulo - tanto na capital como no interior. Foi ultrapassado pela adversária do PT, Dilma Rousseff, pela primeira vez desde o início da corrida eleitoral, o que acendeu a luz de alerta no PSDB paulista.

Na tentativa de compensar a perda de terreno, Serra estará novamente ao lado de Alckmin para enviar mensagens de união entre as duas campanhas.

"Será superimportante. O prefeito é a liderança que mais pode fazer diferença. Não só interior, mas como a região metropolitana e a capital", disse Alckmin, em referência à queda de Serra nas pesquisas.

"Nós temos 645 municípios. As lideranças municipais estão mais próximas do povo, têm capilaridade, chegam à zona rural, às igrejas, empresas, trabalhadores e sindicatos", disse o tucano.

Copa 2014. Ontem, após corpo a corpo em uma feira de beleza na capital paulista, Alckmin disse acreditar que Itaquera terá infraestrutura suficiente para receber a Copa das Confederações em 2013 e a Copa do Mundo em 2014. "É tempo mais do que suficiente", afirmou.

Alckmin prometeu, de início, reforçar a frota de trens da CPTM e do metrô. "As linhas já estão prontas. É comprar trem, modernizar, é tecnologia."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.