Alckmin usa programa eleitoral para atacar Lula

O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, usou seu horário eleitoral deste sábado para atacar o presidente Lula e vinculá-lo ao escândalo da compra do dossiê contra os tucanos. "Que presidente é esse que diz que não sabia de nada e que não vê nada? O presidente tem obrigação de saber o que se passa ao seu redor", criticou Alckmin.O programa rememorou os escândalos que já atingiram os ministros e assessores do Palácio do Planalto, desde o flagrante da propina pedida por Waldomiro Diniz, em 2004, até o caso do mensalão e dos sanguessugas. "É importante que todos saibam o que ocorreu na semana que passou", disse o tucano, mostrando imagens da prisão dos petistas Gedimar Passos e Valdebran Padilha, em São Paulo, com R$ 1,7 milhão. "O Brasil há de varrer da história escândalo atrás de escândalo."Enquanto isso, a uma semana das eleições, o presidente Lula perdeu mais 4 minutos dos seus 7 minutos e 12 segundos no horário eleitoral deste sábado. A supressão do tempo na TV ocorreu por determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em virtude de candidatos a governador do PT nos Estados terem cedido seu espaço de propaganda para Lula. Até agora, Lula já perdeu 40 minutos de seus programas por "invasão" de outros horários eleitorais.Nos 3 minutos que lhe sobraram na sexta-feira, o presidente destacou de modo distorcido alguns dados da última pesquisa do IBGE, como a notícia de que a "renda (dos brasileiros) sobe após 10 anos". Na verdade, em 2005 foi a primeira vez que a renda deixou de cair em relação ao ano anterior, mas continua abaixo da renda de 1996 ou de 2002, antes de Lula assumir o governo."Essa palavra emprego será uma verdadeira obsessão para nós", disse Lula no horário eleitoral. O petista também ganhou direito de resposta no horário do candidato do PSDC, José Maria Eymael.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.