Além de fins de semana, Tamoios terá restrição para caminhões em feriados

Ideia é reduzir acidentes e congestionamentos enfrentados por quem viaja ao litoral norte; sindicato de transporte de cargas reclama

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

18 Janeiro 2012 | 08h04

SÃO PAULO - Para evitar as longas filas de carros parados nos congestionamentos da Rodovia dos Tamoios, que liga São José dos Campos - e as Rodovias Presidente Dutra e Carvalho Pinto - às cidades do litoral norte do Estado, o governo não só renovou ontem a restrição ao trânsito de caminhões pesados durante os fins de semana de janeiro e fevereiro como aumentou o pacote de proibições para os dias de feriados prolongados até o fim deste ano e respectivas vésperas.

Na pista sentido litoral, a proibição se dará nas manhãs de sábado - das 8 horas ao meio-dia. Já no sentido interior, o veto valerá nas tardes e noites de domingo - entre 15 horas e 23 horas. Esses são os horários mais utilizados por carros que descem e sobem a serra. Neste ano, vésperas de feriados como Páscoa, Corpus Christi e Independência também terão o tráfego fechado para os caminhões. Mas a única véspera de feriado no meio da semana (em uma quarta-feira) será em 14 de novembro, que antecede a Proclamação da República.

A restrição também vale para a Rodovia Mogi-Bertioga, que também terá horários específicos para os caminhões - das 8h às 12h aos sábados, no sentido Bertioga, e das 15h às 23h

Turismo. A medida prioriza os carros de passeio - turistas da capital e da região do Vale do Paraíba que vão às praias - e foi tomada "considerando a necessidade de oferecer maior segurança aos usuários e melhor fluidez ao tráfego", segundo portaria do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), órgão da Secretaria de Estado de Logística e Transportes que administras as rodovias gerenciadas diretamente pelo governo do Estado.

A expectativa é de que, só neste mês, a Tamoios receba semanalmente 88,6 mil veículos. No mês que vem, o volume será de 73,1 mil. Para comparação, em dezembro, a Tamoios teve fluxo semanal de 64 mil.

A portaria prevê, por outro lado, que em dias de baixo movimento, mesmo em feriados, a restrição possa ser relaxada e a Polícia Militar Rodoviária permita caminhões na via.

A sinalização indicativa sobre a proibição já está instalada. A portaria que regulamenta a restrição aos caminhões foi publicada ontem no Diário Oficial do Estado e renovou proibição parecida à que vigorou no ano passado.

O Porto de São Sebastião, que recebe boa parte do tráfego de caminhões da Tamoios, já está adequado à regra - caminhões só podem descarregar ali de segunda a sexta-feira. Mas o secretário de Trânsito de Caraguatatuba, João Batista Amandes, afirma que não só o porto é responsável pelo grande fluxo de veículos pesados na Tamoios. "Nos últimos anos, o trânsito de caminhões tem crescido muito. Temos grandes redes varejistas, lojas de material de construção. E elas precisam ser abastecidas." Mesmo assim, ele concorda com a restrição e espera que ela reduza acidentes de trânsito envolvendo carretas no trecho de serra da via. Na semana passada, um caminhão tombado na via fechou a Tamoios por sete horas.

Quem discorda são os empresários do setor de transporte de cargas. "A Tamoios é o único acesso às cidades do litoral norte. Se o motorista está em Santos, até compensa vir pela Rodovia Rio-Santos. Mas, se está em São Paulo, é preciso esperar. E os caminhões ficam nos postos pela rodovia", afirma Laércio Lourenço, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Carga do Vale do Paraíba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.