Alemanha e França negociam por paridade em participação na EADS

França e Alemanha estão discutindo uma mudança na estrutura corporativa da EADS, controladora da Airbus, sob a qual cada país iria ter cerca de 12 por cento da fabricante de aviões, disseram várias pessoas familiarizadas com o assunto.

Reuters

20 Novembro 2012 | 15h22

As conversações, publicadas mais cedo pelo jornal alemão Handelsblatt, pretendem rearranjar uma complexa rede de acionistas que ficaram sob os holofotes após o colapso da proposta de fusão entre a EADS e a inglesa BAE Systems.

O controle da EADS, fundada em 2000, é dividido entre a fabricante de automóveis Daimler, que representa os interesses da Alemanha com 22,5 por cento de direito a voto, e um consórcio francês que combina 15 por cento do governo e 7,5 por cento da empresa de mídia francesa Lagardere.

A Espanha controla outros 5,5 por cento.

As mudanças sob discussão dissolveriam o acordo de acionistas da EADS pelo menos em sua forma atual.

Tanto a Daimler quanto a Lagardere disseram que querem vender ou reduzir suas participações. O governo alemão quer alcançar paridade com a França, comprando ações controladas pela Daimler. Tradicionalmente, a França se opõe a reduzir sua participação.

Sob o compromisso que agora está sendo discutido, a parcela da França cairia para 12 por cento e a Alemanha compraria cerca de 12 por cento do bloco da Daimler, disseram as fontes, que pediram para não ser identificadas.

Como resultado, as participações dos Estados, incluindo a da Espanha, ficariam logo abaixo do limiar de 30 por cento, evitando assim uma nacionalização confusa e indesejada.

A EADS não comentou as informações.

(Por Noah Barkin, Tim Hepher, Andreas Rinke, Gernot Heller e Ludwig Burger)

Mais conteúdo sobre:
AEREAS EADS FRANCA ALEMANHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.