Alencar defende investigação interna no PT

O presidente da República em exercício, José Alencar, disse nesta terça-feira que as denúncias divulgadas pela revista IstoÉ na sexta-feira e o dossiê apreendido pela Polícia Federal não beneficiariam o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na corrida eleitoral, mas defendeu a posição do senador Eduardo Suplicy (PT-SP) de que haja uma investigação interna no Partido Trabalhadores. "Aquilo (o dossiê) não tem nada a ver (com o presidente Lula). A figura nacional que o dossiê condena é a do (ex-) ministro (José) Serra, e ele não é candidato à Presidência da República", afirmou.Sobre as investigações internas no PT, ele destacou que o comportamento de Suplicy como seu ex-colega de Senado é "exemplar". "O senador, quando pede uma investigação dessas, é uma prova do compromisso dele com o regime democrático", comentou. "Eu o aplaudo, pois o senador Suplicy tem toda a autoridade para dizer isso", acrescentou Alencar, que voltou a cobrar uma ampla apuração das denúncias, tanto pela Polícia Federal, como pela Justiça e Ministério Público, que devem trazer, segundo ele, respostas para a população.Por fim, Alencar defendeu Freud Godoy, ex-assessor do presidente Lula, das acusações de que teria intermediado a compra do dossiê que tentava envolver Serra no esquema de fraudes dos sanguessugas. "O Freud não tem perfil para participar de uma coisa dessa natureza. E eu não acredito que ele seja responsável por isso. Mas, se for, que seja punido, porque, fora da lei, não há salvação", concluiu Alencar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.