Alencar recebe Mantega e reclama dos juros

Na UTI do Sírio-Libanês, vice-presidente fala por 40 minutos com ministro e elogia manutenção do titular da Fazenda pela presidente eleita

Wellington Bahnemann, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2010 | 00h00

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, visitou ontem à tarde o vice-presidente da República, José Alencar, no hospital Sírio-Libanês - onde Alencar está internado desde a quarta-feira. Na conversa dos dois, que durou cerca de 40 minutos, falou-se de economia e o vice-presidente voltou a reclamar das altas taxas de juros cobradas no País.

"Eu o ouvi falar de questões importantes, com toda a lucidez e disposição que o moveu por todos esse anos", afirmou Mantega, à saída. Por conta disso, disse acreditar que Alencar participará da cerimônia de posse da presidente eleita, Dilma Rousseff, no dia 1.º de janeiro.

"Não conversei com os médicos, mas o filho dele (Josué Gomes) disse que ele deve ter condições de estar na cerimônia de posse", afirmou Mantega. Na impressão do ministro, a recuperação de Alencar "está sendo boa".

Os médicos do Sírio-Libanês, porém, ainda não confirmaram se seu estado de saúde lhe permitirá viajar até Brasília para a solenidade: dependerá da evolução do quadro.

Mantega destacou o papel de Alencar no governo Lula, ressaltando que, ao longo dos últimos oito anos, ele exerceu a função de vice de maneira ativa e participante e, por isso, queria concluir a sua missão comparecendo à posse de Dilma. "O Alencar ajudou na eleição do Lula. Por ser um empresário, deu a confiança que talvez o Lula não tivesse naquele momento", ponderou o ministro da Fazenda.

Mantega se mostrou agradecido pelo elogio de Alencar sobre a escolha de seu nome para seguir à frente do Ministério no governo Dilma. "O elogio, partindo de quem veio - uma pessoa que entende muito de economia, é um empresário bem-sucedido, um senador - me deixa muito feliz", acrescentou, ressaltando que Alencar foi um grande amigo e teve uma grande participação do governo Lula.

Pouco antes da chegada do ministro, o Hospital Sírio-Libanês informou que não havia ocorrido nenhuma alteração no quadro clínico do vice entre o sábado e o domingo. O estado de saúde permanecia estável.

Alencar não apresenta mais hemorragia, mas a equipe médica continua atenta ao quadro. O vice-presidente segue na UTI do hospital. Internado às pressas, na quarta-feira passada, com hemorragia intestinal grave, ele foi submetido a mais uma cirurgia, a 17.ª em seus 13 anos de luta contra o câncer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.