Alencar recebe transfusão após nova hemorragia

Vice-presidente, internado no Sírio desde quarta-feira, já passou por 17 cirurgias em mais de dez anos

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

25 de dezembro de 2010 | 00h00

O Hospital Sírio-Libanês divulgou nota no início da tarde de ontem na qual informa que o vice-presidente da República, José Alencar, internado desde quarta-feira, "voltou a apresentar sangramento no intestino, em quantidade moderada".

De acordo com o comunicado, Alencar mantinha-se clinicamente estável e continuaria na UTI do hospital. Para enfrentar o quadro, Alencar recebeu transfusões de sangue. Passaria, mais tarde, por uma hemodiálise.

O boletim de ontem foi subscrito pelo diretor técnico do hospital, Antônio Carlos Onofre de Lira, e pelo diretor clínico Paulo Ayroza Galvão.

Equipe. Alencar é atendido por uma equipe de médicos: Paulo Hoff, Raul Cutait, Ademar Lopes, Roberto Kalil Filho e Yana Novis, Davi Uip e Miguel Srougi.

No final da manhã de ontem, Cutait havia informado que o estado de saúde do vice era "razoavelmente estável" e a equipe aguaria a evolução do quadro, nos próximos dias, para decidir se liberaria ou não Alencar para deixar a UTI.

O médico relatou que o vice-presidente estava acompanhado da família. Passou bem a noite de quinta-feira, segundo seu filho Josué Gomes da Silva.

Nova internação. Alencar foi internado na manhã de quarta-feira com hemorragia abdominal e foi submetido a uma cirurgia de emergência.

Anteontem, recebeu a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente eleita, Dilma Rousseff. Conversou bastante e manifestou o desejo de participar da cerimônia de posse de Dilma no dia 1.º de janeiro.

Alencar, que tem 79 anos, luta contra um câncer na região do abdome há mais de 13 anos. Na quarta-feira, passou pela 17.ª cirurgia. Seu quadro de saúde tem se agravado nos últimos meses. Ele ficou internado por 24 dias, entre outubro e novembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.