Alencar tem alta e deixa o Hospital Sírio-Libanês

Animado, vice-presidente afirmou estar bem e disposto a ajudar na campanha da petista Dilma Rousseff

Carolina Freitas, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2010 | 00h00

AGÊNCIA ESTADO

O vice-presidente da República, José Alencar, deixou no início da tarde de ontem o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde esteve internado desde a quarta-feira da semana passada. Ao sair, acenou para as pessoas e disse estar se sentido bem e "com o coração ótimo".

"Aqui foi luta todo tempo", afirmou, animado. Os médicos colocaram um stent na artéria principal do coração do vice-presidente, para desobstruí-la.

"A artéria estava obstruída em 72%. Isso foi um fator de complicação, porque eu estava vindo para fazer a minha quimioterapia de rotina", declarou Alencar, que vem se submetendo a um tratamento para combater tumores na região do abdome.

O vice afirmou que não vai precisar fazer alterações na dieta alimentar depois do problema que teve no coração.

"Eu já tenho mudado muito a alimentação, mas, como muita gente fala da minha resistência, eu digo que pode ser por causa da minha alimentação. Ovo frito e carne de porco não fazem mal. Antigamente, só havia gordura de porco e ninguém morria assim", declarou. Alencar admitiu, entretanto, que só voltará a comer alimentos gordurosos de vez em quando.

O vice deveria passar a noite de ontem no apartamento que possui em São Paulo, em companhia da mulher, Mariza.

O vice-presidente disse que pretende voltar em breve ao trabalho, em Brasília. Ele já retomou o tratamento com quimioterapia e um coquetel de medicamentos contra o câncer.

Campanha eleitoral. Alencar afirmou que na medida do possível ajudará na campanha da candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, pedindo votos para ela, especialmente em Minas Gerais. "Apoio Dilma não só pela amizade, mas porque sei de sua capacidade de discernimento, de seriedade e da dedicação dela", declarou.

Apesar da preferência por Dilma, o vice fez questão de elogiar os outros dois presidenciáveis, José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV). Alencar classificou o tucano como "um brasileiro de bem" e a senadora como "moça de valor". "Eu desejo a eles, seja qual for o vencedor, que continuem a ser o que são", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.