Alerj convoca Batalhão de Choque da PM para se defender de protesto

Manifestantes reivindicavam projeto de lei que autoriza governo a contratar Organizações Sociais para gerir hospitais

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

13 Setembro 2011 | 19h59

RIO - A votação de um projeto de lei que autoriza o governo do Estado do Rio a contratar Organizações Sociais para a gestão de hospitais e unidades médicas do Estado causou tumulto e a intervenção do Batalhão de Choque da PM, em frente à Assembleia Legislativa do Rio, na tarde desta terça-feira, 13.

O protesto foi liderado por profissionais da rede pública de saúde, acompanhados por bombeiros, que estão acampados em frente ao prédio há dias. O projeto acabou aprovado por 49 votos a 12. Às 19h30 desta terça, os deputados ainda discutiam as 27 emendas propostas.

A direção da Assembleia Legislativa afirmou, em nota, que "por conta da iminência de uma invasão por parte de manifestantes", a presidência da Assembleia Legislativa "se viu obrigada a convocar o Batalhão de Choque da Polícia Militar para garantir a segurança de seus funcionários e um dos patrimônios históricos do estado, o Palácio Tiradentes. Mesmo com a presença de policiais, deputados, deputadas e seguranças da Casa foram agredidos quando tentavam entrar no prédio, onde fica o plenário da Alerj."

Mais conteúdo sobre:
Batalhão de Choque PM Alerj protesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.