Alerj protesta contra armas nucleares a bordo do Nimitz

A Comissão de Defesa do Meio Ambiente da Assembléia Legislativa do Rio (Alerj) entrou com uma representação na Procuradoria Geral da República contra a existência de armas nucleares a bordo do porta-aviões nuclear Nimitz, da Marinha de Guerra dos Estados Unidos, que está na costa fluminense para realizar manobras militares.Nesta quinta-feira, ambientalistas e pescadores fizeram manifestação em frente ao 1º Distrito Naval. ?Estamos protestando contra as bombas que existem naquele porta-aviões, o que fere a Constituição Federal, que proíbe o uso de energia nuclear em território nacional?, disse o deputado estadual Carlos Minc (PT), presidente da Comissão de Defesa do Meio Ambiente.A Constituição diz que ?toda atividade nuclear em território nacional somente será admitida para fins pacíficos e mediante aprovação do Congresso Nacional. Isso é uma afronta à paz, ao meio ambiente e à lei brasileira. O governo deve ser responsabilizado se houver algum acidente?, disse Minc.O Nimitz se encontra a cerca de 100 quilômetros da costa da Região dos Lagos e está sendo transferido da base de Norfolk, na costa leste dos Estados Unidos, para San Diego, na costa oeste, após uma reforma dos dois reatores nucleares.Na quarta-feira, caças da Força Aérea Naval Brasileira fizeram um exercício militar no porta-aviões. A embarcação tem capacidade para 36 aviões com armas nucleares ? seu tamanho é superior a três campos de futebol. De acordo com a representação da comissão da Alerj, o Nimitz já sofreu três acidentes, nos quais houve vazamento de água contaminada de um de seus reatores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.