Alerj tem protesto contra projeto de lei que proíbe máscaras em manifestações

Houve discussão com seguranças da Casa; governador é a favor da aprovação do PL

Clarice Cudischevitch, O Estado de S. Paulo

03 Setembro 2013 | 10h56

Cerca de 20 manifestantes, usando máscaras de carnaval, fazem um ato na porta da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro contra o projeto de lei dos deputados estaduais do PMDB Paulo Melo e Domingos Brazão, proibindo o uso de máscaras em manifestações. O PL deverá ser votado hoje, às 16h30, na Assembleia Legislativa.

Por volta das 10h20, os manifestantes discutiram com seguranças da Casa que queriam retirar máscaras colocadas em estátuas na entrada do prédio. Os guardas alegaram que eram normas da Assembleia. Os jovens responderam que a ordem não constava no regimento e que o ato não configura depredação do patrimônio. Mesmo assim, os seguranças retiraram as máscaras e, em protesto, os manifestantes cantaram e dançaram marchinhas de carnaval na frente dos guardas, que ficaram visivelmente irritados.

Por enquanto, nenhum deputado está na Alerj. Os manifestantes afirmam que vão assistir à votação no Plenário e, em seguida, farão um "baile de máscaras" na Cinelândia, também no Centro.

Entenda. O projeto de lei proíbe pessoas com rostos cobertos em manifestações e autoriza a polícia a reprimir quem portar paus e pedras. O PL prevê ainda que qualquer manifestação no Estado seja previamente comunicada à polícia.

O governador Sérgio Cabral afirmou achar "absolutamente correto" o projeto de lei, de iniciativa de deputados aliados, que proíbe mascarados em manifestações no Rio. "O conceito de não ter mascarado em manifestação, acho absolutamente correto. As pessoas têm de mostrar a sua cara quando se manifestarem", disse Cabral, durante solenidade no Palácio Guanabara.

Mais conteúdo sobre:
Protesto, Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.