Alerta para novo ciclone no Rio

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informou nesta terça-feira que o ciclone responsável pela ressaca que atinge o Rio desde o fim de semana está bastante afastado da costa, indicando o fim do fenômeno.Um novo ciclone, porém, está em formação sobre o oceano e pode fazer com que grandes ondas voltem a atingir o litoral do RJ a partir da próxima sexta-feira."Há tendência de formação de um novo ciclone, o que pode trazer uma nova ressaca", disse o meteorologista Almerindo Marinho. O coronel Jorge Lopes, relações-públicas da Defesa Civil estadual, afirma que a formação de ciclones é normal nesta época do ano. "A probabilidade existe e ficaremos a postos".Lopes informou que não houve grandes alterações no quadro do interior do Estado, destacando apenas desabamentos de quiosques em Saquarema e de casas à beira-mar em Cabo Frio, localidades da Região dos Lagos. "São apenas casas de veraneio", minimizou o relações públicas. A maior preocupação é com os pescadores, pois o mar continua bravo. Em Búzios, também houve destruição de um calçadão, no local batizado como Orla Bardot, em homenagem à atriz francesa Brigitte Bardot, que freqüentou o balneário na década de 60. O coordenador da Defesa Civil municipal do Rio, coronel João Carlos Mariano, disse que a corporação será mantida em estado de alerta máximo até que os institutos de meteorologia indiquem o fim da ressaca.Em todo o Estado, há quatro mil homens de prontidão, 800 deles na orla. Na Praia do Canto, em Barra de Guaratiba, zona oestedo Rio, um muro de pedra com 25 metros de extensão desabou nesta terça-feira devido à força das águas.Mariano acredita que a situação esteja normalizada nesta quarta-feira. Nesta terça, Mariano e o comandante do Grupamento Marítimo (GMar) do Corpo de Bombeiros, coronel Marcus Silva, estiveram em São Conrado, zona sul, vistoriando um quiosque interditado na segunda-feira pelo risco de desabamento.Doze equipes da Defesa Civil do município - formadas, cada uma, por um engenheiro civil e dois técnicos - avaliam os riscos e a necessidade de isolamento dos locais afetados pelo mar. Um trailer na Barra da Tijuca, zona oeste, também foi interditado. Desde a sexta-feira, a Prefeitura acionou um plano de emergência, que mobilizou as subprefeituras do Rio, as regiões administrativas da orla, a Defesa Civil, a CET-Rio (Companhia Estadual de Trânsito), a Comlurb (Companhia de Limpeza Urbana) e a Guarda Municipal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.