Algumas promessas datam dos anos 70

O plano de metas do prefeito Gilberto Kassab é todo formatado com projetos antigos, alguns com mais de 30 anos, que são recorrentes a várias gestões. São ações e investimentos que a cidade carece com urgência e não tiveram oportunidade financeira ou política para serem implementados. É o caso dos novos corredores de ônibus, dos novos parques, dos terminais de ônibus a serem criados e dos terminais rodoviários, por exemplo. Esse terminais rodoviários são uma proposta na década de 70 que consta do Plano Integrado de Terminais Rodoviários de Passageiros (Pitep). Os corredores foram planejados há uma década.A regularização fundiária, para remoção de 75 mil famílias moradoras em favela e loteamentos irregulares em área de mananciais já está em andamento desde 2007, em parceria com o Estado. Foco de enchentes, a bacia do Córrego Pirajuçara tem um programa de drenagem que se arrasta desde 2001.Na área de segurança, a instalação de câmeras na região central está atrasada. Vem desde 2006. Três anos antes, ainda na gestão Marta Suplicy (PT), já estava prevista a renovação da frota de ônibus, dentro do contrato de concessão às empresas, que é de 2003.Uma antiga reivindicação da população e dos movimentos sociais, a ampliação das ciclovias também engatinha, por vários entraves. Agora estão previstos 100 km. Assim como a instalação de semáforos inteligentes - a própria semaforização normal da cidade apresenta problemas e contribui para aumentar congestionamentos.Nem mesmo nos incentivos à produção cultural e valorização e otimização dos serviços públicos há registro de algo mais ousado ou inédito. No item consolidação da cidade como marco nacional em esporte e lazer, por exemplo, o plano prevê a colocação em funcionamento de 200 clubes escolas, construção de vila olímpica em Cidade Tiradentes, zona leste, e reforma de equipamentos esportivos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.