Alívio em Presidente Bernardes após partida de Beira-Mar

A transferência de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, para Maceió foi comemorada nesta quinta-feira na região de Presidente Prudente. A cidade de Presidente Bernardes, que abrigou o criminoso carioca por pouco menos de um mês, passou a viver em clima de apreensão com a chegada de Beira-Mar.Há duas semanas, quando ainda não se sabia se o traficante ficaria no município por tempo superior ao estipulado inicialmente, a ONG Núcleo de Desenvolvimento Regional de Presidente Prudente (Proderpp) chegou a promover protesto pela saída de Beira-Mar."A transferência foi uma vitória da sociedade civil", disse o diretor da entidade, o ex-procurador de Justiça do Estado Zelmo Denari. "A região não comporta bandidos de alta periculosidade."Após sua saída, o criminoso até virou alvo de brincadeiras. "Ele devia ser mandado para o Iraque, para ser braço direito do Saddam Hussein", ironizou o coveiro Raimundo Ferreira, de 48 anos. Ele conseguiu até ver fatos positivos na presença do traficante. "Aqui é muito parado. Quase tem mais gente no cemitério que na cidade. São mais de 10 mil sepultados."Ferreira também comentou que os presídios na região acabam trazendo benefícios para o comércio local. "Todo fim de semana são pelo menos três ônibus com parentes de presos. São pessoas que se hospedam numa pensão no sábado e no domingo. Também gastam no comércio."Passados os temores iniciais, o pedreiro Nilton Caetano, de 57 anos, chegou à conclusão de que o povo não tinha com o que se preocupar. ??Beira-Mar deve causar preocupação para muita gente grande, de colarinho branco. Sua permanência em nossa cidade foi até boa, porque falaram de Presidente Bernardes em todo Brasil."Na área de Presidente Prudente estão instalados 14 presídios, que abrigam aproximadamente 18 mil detentos - essa é a maior concentração de sentenciados em uma só região. Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.