Alkmin admite aumento do pedágio com nova pista da Imigrantes

O governador Geraldo Alckmin admitiu nesta terça-feira que haverá aumento da tarifa do pedágio do Sistema Anchieta-Imigrantes após a inauguração da nova pista da Imigrantes, marcada para o dia 17. "Há uma previsão contratual nesse sentido, e a tarifa passará a ser quilométrica, como nos demais sistemas", disse.Ele não revelou a data nem o porcentual da majoração, mas informou que está em estudo uma compensação, com redução da tarifa em outras rodovias do litoral. Alckmin revelou também que haverá um aumento de 30% no reforço policial nascidades da Baixada Santista na temporada de verão.Segundo ele, em 2001 o número de PMs deslocados para a regiao foi de 976, enquanto para este ano está prevista a chegada de 1.268 homens. O governador entende que esse número será suficiente para atender ao aumento do movimento que a inauguração da segunda pista da Imigrantes trará. "Para a Operação Verão será suficente, porque 30% a mais que no ano passado é um reforço importante."Ele informou que novos equipamentos serão destinados ao litoral. "A políciaestá melhor equipada, com carros, armamentos, e está sendo estudada também a questão do efetivo, pois quatro mil policiais no Estado deixarão de policiar as muralhas dos presídios para entrar na ação de combate à criminalidade."Sobre o aumento do pedágio do Sistema Anchieta-Imigrantes, o secretário estadualde Transportes, Luis Carlos David, informou que o contrato de concessão do SAI prevê a mudança de critério de cobrança a partir da conclusão da segunda pista da Imigrantes.Já há uma proposta para a nova tarifa, mas esta não foi submetida ainda ao governador Geraldo Alckmin e, por isso, ele não divulgou os valores. O turista deverá ter uma compensação para o aumento tarifário com redução da taxa em pedágios das rodovias Padre Manoel da Nobrega e Rio-Santos."Com a conclusão das obras, o contrato prevê que a tarifa passe a ser cobrada de acordo com aquilometragem, como já é feito em todos os outros sistemas rodoviários estaduais",informou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.