Divulgação
Divulgação

Alpinista brasileiro cruza as Cataratas do Iguaçu em tirolesa

Especialista em escalar montanhas pelo mundo, Waldemar Niclevicz, atravessou o cânion da Garganta do Diabo, nas Cataratas do Iguaçu, numa extensão de 155 metros

Evandro Fadel, O Estado de S.Paulo

04 Novembro 2011 | 14h34

CURITIBA - O alpinista Waldemar Niclevicz, de 45 anos, especialista em escalar montanhas pelo mundo todo, entre elas o Everest, venceu ontem pela manhã, o desafio de atravessar o cânion da Garganta do Diabo, nas Cataratas do Iguaçu, em uma tirolesa.

Ele foi até o lado argentino, numa extensão de 155 metros, e retornou ao Brasil, carregando um banner em apoio à candidatura das Cataratas como uma das Sete Novas Maravilhas da Natureza. Ela concorre com 27 finalistas, incluindo a Amazônia. O resultado das votações, que podem ser feitas pela internet, será conhecido na próxima sexta-feira, 11.

"Chorei de emoção e agradeci a Deus pelo privilégio de estar aqui nesta maravilha da natureza", disse o alpinista.

Nascido em Foz do Iguaçu, esta é a segunda vez que ele realiza a façanha. A primeira foi em 2001. Em fevereiro deste ano, ele fez a travessia do Salto Angel, na Venezuela. "Foi incrível, mas nada se compara à beleza das Cataratas do Iguaçu", elogiou.

Para estender a corda de um lado a outro da Garganta do Diabo, o mais impressionante e com maior fluxo de água entre os 275 saltos das Cataratas, ele utilizou uma espécie de helicóptero em miniatura, comandado por controle remoto.

A corda foi colocada a cerca de 80 metros do leito do Rio Iguaçu. No momento em que ele se deslocou sobre as águas, a vazão ultrapassava os 2 milhões de litros por segundo. "Foi espetacular", não se cansava de afirmar o alpinista.

Para a montagem foram necessárias cerca de três horas, ainda na tarde de quinta-feira. Já incluída entre os patrimônios naturais da humanidade, como integrante do Parque Nacional do Iguaçu, as Cataratas do Iguaçu entraram no concurso mundial para se tornar uma das maravilhas da natureza, disputando inicialmente com 440 atrações de 220 países, que se restringem agora a 28 finalistas.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.