Alpinistas ficam pendurados por mais de 6 h no Pão de Açúcar

Bombeiros subiram até o pico do Pão de Açúcar de bondinho e depois usaram rapel para fazer resgate

Solange Spigliatti, estadao.com.br

13 Agosto 2008 | 07h55

Dois alpinistas ficaram pendurados por mais de seis horas a uma altura de pouco mais de 200 metros no morro do Pão de Açúcar, na Urca, no Rio de Janeiro, na noite desta terça-feira, 12. Segundo informações do Corpo de bombeiros, Paulo França, de 35 anos, e Cleison de aula, de 26 anos, acionaram os bombeiros através do celular, por volta das 20 horas e foram resgatados perto das 2h30 de hoje, cerca de seis horas depois, e deixaram o local sem ferimentos, após breve exame feito pela equipe de resgate.   Os alpinistas começaram a escalada no período da tarde, mas após perderem parte do equipamento de iluminação, provavelmente uma lanterna, importante na hora da descida, devido à escuridão, e resolveram abortar a subida e acionar o resgate. De acordo com os bombeiros, a dupla subia o morro pela face leste do Pão de Açúcar, e estava a 200 metros do platô 2 do morro, quando acionaram os bombeiros do quartel de Charitas, através do celular.   As equipes de salvamento dos bombeiros e do policiamento florestal chegaram ao local através do rappel, após subirem de bondinho até o pico do morro. Os alpinistas foram içados até a estação do bondinho, de onde desceram.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.