Alto do Tietê: últimos mananciais

A criação de outro braço da Represa de Taiaçupeba permitirá a exploração plena dos dois últimos mananciais da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê - o Paraitinga e o Biritinga-Mirim. "São os últimos mananciais da região metropolitana com possibilidade de exploração", disse o diretor metropolitano da Companhia de Saneamento Básico do Estado (Sabesp), Paulo Massato. "Com 150 mil novos consumidores entrando no sistema por ano, o novo braço deve atender à demanda dos próximos sete a oito anos."O Alto Tietê é o terceiro maior sistema de abastecimento de água mantido pela Sabesp e abastece 3,1 milhões de pessoas na zona leste da capital e nos municípios de Arujá, Poá, Itaquaquecetuba, Ferraz de Vasconcelos, Mauá, Suzano, Mogi das Cruzes e Guarulhos (bairro dos Pimentas e Bonsucesso). Segundo Massato, com os canais interligados pelo novo braço, a estação de tratamento de água de Taiaçupeba aumentará sua produção de 10 mil para 15 mil litros de água por segundo. "Conseguiremos tempo para estudar alternativas para aumentar a disponibilidade hídrica de São Paulo no futuro." Massato afirma que a alternativa ao Alto Tietê que está em fase mais avançada de estudos é o aproveitamento dos mananciais da Bacia do Rio Ribeira, na nascente do Rio Juquiá, próximo à cidade de Registro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.